Cai preço do gás de cozinha para comércio e indústria

11/01/2019 09h33

Cai preço do gás de cozinha para comércio e indústria.
Imagem: Folha PressClique para ampliarCai preço do gás de cozinha para comércio e indústria(Imagem:Folha Press)

A Petrobras reduziu na última quinta-feira (10) o preço do gás de cozinha vendido em grandes vasilhames ou a granel, mais consumido por clientes comerciais ou industriais. É o quarto corte seguido, acompanhando a redução das cotações internacionais do produto.

A queda será de 3,4%, com início de vigência a partir desta sexta (11). Não há, por enquanto, mudança no preço do produto vendido em botijões de 13 quilos, que é mais consumido em residências, que é revisto a cada três meses.

Desde que o ciclo de cortes foi iniciado, o preço do gás vendido para clientes comerciais e industriais acumula queda de 21% nas refinarias da Petrobras. O movimento de redução ocorre após um período de forte alta, durante o segundo e terceiro trimestres de 2018, quando as cotações do petróleo dispararam.

Entre o fim de março e o fim de setembro, foram cinco aumentos seguidos, com alta acumulada de 27%. O preço do gás para uso comercial e industrial é revisado, em média, uma vez por mês.

De acordo com o Sindigás, que representa as empresas distribuidoras do combustível, a diferença entre os preços do gás para usos industrial e residencial é agora de 15%. A entidade cobra do governo uma política para por fim à prática de preços diferenciados, vigente desde 2003.

A diferença foi determinada por resolução do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) durante o governo Lula, com o objetivo de garantir preços mais baixos ao consumidor de baixa renda, para os quais o gás de cozinha tem peso importante no orçamento.

Imagem: Folha PressClique para ampliarCai preço do gás de cozinha para comércio e indústria(Imagem:Folha Press)

A Petrobras reduziu na última quinta-feira (10) o preço do gás de cozinha vendido em grandes vasilhames ou a granel, mais consumido por clientes comerciais ou industriais. É o quarto corte seguido, acompanhando a redução das cotações internacionais do produto.

A queda será de 3,4%, com início de vigência a partir desta sexta (11). Não há, por enquanto, mudança no preço do produto vendido em botijões de 13 quilos, que é mais consumido em residências, que é revisto a cada três meses.

Desde que o ciclo de cortes foi iniciado, o preço do gás vendido para clientes comerciais e industriais acumula queda de 21% nas refinarias da Petrobras. O movimento de redução ocorre após um período de forte alta, durante o segundo e terceiro trimestres de 2018, quando as cotações do petróleo dispararam.

Entre o fim de março e o fim de setembro, foram cinco aumentos seguidos, com alta acumulada de 27%. O preço do gás para uso comercial e industrial é revisado, em média, uma vez por mês.

De acordo com o Sindigás, que representa as empresas distribuidoras do combustível, a diferença entre os preços do gás para usos industrial e residencial é agora de 15%. A entidade cobra do governo uma política para por fim à prática de preços diferenciados, vigente desde 2003.

A diferença foi determinada por resolução do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) durante o governo Lula, com o objetivo de garantir preços mais baixos ao consumidor de baixa renda, para os quais o gás de cozinha tem peso importante no orçamento.


Fonte Folha Press

Confira as últimas notícias sobre Geral: florianonews.com/geral
Siga @florianonews e curta o FlorianoNews

Tópicos: queda, preço, gás